Artemisia, A Arte, Como Vingança Contra Os Estupradores

Artemisia, A Arte, Como Vingança Contra Os Estupradores

Off Por

Estuprada por um amigo de seu pai, uma das pintoras mais sérias do barroco transformou sua arte em uma maneira de reivindicação. E ao ajuste de contas. Eu lhe arañé o rosto e eu puxei o cabelo”. O que você acabou de ler é o relato de uma violação. Transformou a ferocidade por que passou em instrumento de criação e reflexão artística, em uma época em que as mulheres estavam retirado do universo da arte. Realmente foi a primeira mulher que capturou em uma tela os abusos físicos que sofriam as mulheres, denunciando essas agressões com obras de uma potência excelente e uma espaçoso formosura. Historicamente, as mulheres não são de parede definitivamente nada no mundo da arte.

você Só deve ceder um passeio pelo Museu do Prado pra essa finalidade. Na pinacoteca de madri, os nus femininos atingem 240. Entretanto, as 1.627 obras que há expostas, no total, somente 6, única e exclusivamente, 6, são obra das mulheres.

Uma dessas 6 obras é o Nascimento de são João Batista e foi pintada em 1635 por Artemisia Gentileschi. Artemisia era a maior, a única guria e, sem sombra de dúvida, a mais talentosa de todos os quatro filhos de Orazio Gentileschi, um pintor caravaggista de origem toscano, que mudou-se para Roma em busca de serviço.

Foi lá, na Cidade Eterna, onde o oito de julho de 1593 nasceu. É muito possível que com doze ou 13 anos Artemisia começou a trabalhar como aprendiz na oficina de seu pai e a ver os segredos do ofício de pintar.

Mas Artemisia não só pintava. Todo o teu universo mudou, entretanto, em 1611 às mãos de um tal Agostino Tassi, um pintor conhecido de teu pai, especialista em promessas. Orazio encarregou-o de explicar a sua filha, os segredos de tua arte, desse jeito que Tassi entrava e saía livremente da casa em que morava a família Gentileschi, pela rua della Croce, em Roma. Um dia, em maio de 1611, no momento em que Artemisia contava 17 anos, e aproveitando que teu pai não se encontrava em casa, Tassi se abriu caminho à potência até o quarto da jovem e a violou.

  1. 2 primeiros anos de EUA independente
  2. Exclua o duvidoso acrescentado que fizeste
  3. 2 Competitividade, da liberdade econômica e do mercado de serviço
  4. 3 Anos 1930: anos escuros do clube
  5. 1ª temporada: 2,50 milhões de espectadores
  6. 3 Presidência de Nicolás Maduro
  7. José 09:Dezoito dezesseis abr 2007 (CEST)

Aquela foi uma experiência traumática pra Artemisia. Além da violência de sofrer uma agressividade sexual, a perda da virgindade significava, naquela data, uma rígida limitação às tuas promessas de futuro. Mas havia um modo de que a mulher evitasse essa suposta humilhação pública: que o agressor aceitasse se casar com a sua vítima, o que permitia a passagem ao estuprador contornar a prisão.

Esse apaño conhecia-se legalmente com o nome de “casamento reparador” e na Itália tem estado legalmente vigente até 1981 (sim, leu bem). Até o ponto de que, em 1965, Franca, Viola, uma siciliana, que tinha desta maneira dezessete anos e havia sido estuprada pelo filho de um mafioso, tornou-se a primeira italiana em rejeitá-lo. Artemisia pensou, entretanto, que o casamento reparador podia ser o fantástico pra ela.

Assim que, depois de ser estuprada durante os próximos nove meses manteve relações com Tassi, seu agressor, já que este lhe prometeu levá-la ao altar e celebrar um casamento que retornasse a ele a honra. Nessa época, contrair núpcias com teu estuprador era o único meio que tinha uma mulher estuprada pra reabilitar a sua imagem pública e para terminar com a carga de “impureza” que, desde por isso, arrastava. Porque eram as vítimas e não os agressores, os que apoiavam a punição social.