“Em Casa Não É Campeão Do Mundo”

“Em Casa Não É Campeão Do Mundo”

Off Por

Com só vinte e um anos, Marc Márquez Alentà (Cervera, 1993) é a cara da moda do desporto português. Sua figura humana assim como cresce exponencialmente. Ele previu há anos, Carmelo Ezpeleta, o gestor do Mundial de MotoGP, que seria o novo Valentino Rossi.

E o está ultrapassando. Na pista, em popularidade e carisma. Imerso na época, líder do Mundial e o superior favorito a receber o título -leva oito vitórias em 8 grandes prêmios-, somente lhe restam vãos livres entre corridas, ao ritmo de uma a semanalmente ou a cada quinze dias. Para encontrá-lo remoto dos circuitos há que se encobrir em alguma exibição ou ato de patrocínio. Como o que estrelou em Barcelona, para a assinatura de roupas a Gás -um de seus patrocinadores pessoais-, pra que se submeteu a uma maratona sessão de fotos e vídeo pra ilustrar a temporada de outono-inverno e saudáveis 2014-quinze da marca.

Se vê solto no palco. Você costuma fazer de paradigma? A verdade, prefiro estar em casa entrenándome ou descansando, que não gostam muito isto de ‘disfrazarme’. Modelo não sou melhor com o capacete colocado. Mas entendo que como atleta vai bem, que te abras a outros domínios.

eu Não me sinto confortável posando, me sinto melhor dentro dos circuitos. Eu tenho desonra de que me tirem fotos e que me pedirem “coloque já a cara de velocidade, coloque nesta hora a cara sexy”… E isso o que é? Eu não sei colocar cara sexy.

Me apresenta muita vergonha. Você é a coisa mais irritante do seu trabalho, as fotos e as entrevistas? As entrevistas ao encerramento, são fração do serviço e é um meio para me comunicar com meus seguidores. Você deve fazê-las. Isso (de posar e fazer campanhas de publicidade) se quiser não o fizer e você ficar em residência. Mas, para e também patrocinadores relacionados com as motos, assim como vai ter patrocinadores de outros domínios. Marc Márquez, em sua segunda temporada no MotoGP, já tem status de ‘peixe amplo’. Quando se tira o macacão e o capacete, o

Flooring de se vestir com um estilo bastante esportivo, com calças jeans e tênis, com t-shirts. Tenho problema em vestir as camisas e, mais ainda, os fatos. Gosto de vestir-se com roupas apertadas, se eu tiver que comparecer a qualquer ato, todavia se estou em casa, levo roupas mais amplas.

  • Mensagens: 6.703
  • o Algum vício confesable
  • dois Psicologia da aprendizagem
  • com a sobrinha de Vinton Hayworth

Não possuo estilista. Cabeleireiro, sim: eu irei a um par de sites em Cervera, entretanto eu curto o cabelo onde me veja. No aeroporto de Barcelona, a título de exemplo, antes de sair de viagem. O penteado revela a personalidade. Como pede que lhe peinen? Quando me perguntam como eu pretendo que me cortem o cabelo, a resposta a toda a hora é “como você vê”… Normalmente, eu acabei de terminar pedindo “como eu levo, entretanto mais curto”. Muito curto assim como não adoro. Eu a toda a hora conformado com o tipo de cabelo que eu tenho, um pouco ondulado.

Se eu tenho, neste momento é muito. Falando de ter, não lhe ausência nada para ser tão jovem. Não, eu cedem. Honda me empresta cinco modelos, imediatamente eu tenho um Civic -que eu compartilho com meu irmão Alex – e um CRV, que leva a minha mãe. Em três anos de licença não perdi nenhum ponto, nem ao menos me colocaram nenhuma multa. Bom, só alguma de estacionamento, área verde, em razão de acaba muito ligeiro, o ticket… De velocidade, nenhuma. E de álcool no sangue, assim como.

Sendo bem pago como piloto de elite, se poderá permitir qualquer capricho. Pensa passar alguma coisa como prêmio se torna a obter o Mundial? É que não há nada que eu necessite adquirir. Eu não preciso de nada. Gosto de ter preparadas as motos de motocross.