O Parlamento Catalão Postergado A Investidura De Puigdemont

O Parlamento Catalão Postergado A Investidura De Puigdemont

Off Por

Hoje, não haverá presidente autonómico da Catalunha. “O TC, sem qualquer tipo de pedido ordena à Mesa (do Parlamento), como deve interpretar o teu regulamento. Não aceitamos que nos digam que os catalães votamos mal, em razão de não o fizemos como eles queriam, não aceitaremos intervenções, nem ao menos que fale-nos quem necessita ser o presidente da Generalitat de Catalunya”, considerou Torrent.

neste sentido, Torrent falou de forma contundente que “não propondré nenhum outro candidato para a investidura, que não seja Puigdemont”. “Eu irei até o encerramento, todas as minhas energias irão pra defender a democracia e a desejo de os catalães expressa nas urnas”, citou o presidente do Parlamento. O plenário da investidura é adiado até que o Tribunal Constitucional resolva as alegações apresentadas pelo partido Junts Per Catalunya (Juntos na Catalunha), do candidato Carles Puigdemont, “com garantias”. Por este motivo, Torrent pediu ao TC a apressar-se pra que dê uma resposta e que possa ter como presidente o rapidamente possível. Estes partidos esperam que procure outro candidato opcional a Puigdemont, instalado a partir de outubro, em Bruxelas, depois de afirmar a liberdade unilateral da Catalunha. Mas as forças independentistas somam maioria no Parlamento regional, com 70 de 135 cadeiras do parlamento.

Em 787 Carlos magno, dirigiu a sua atenção pra Benevento, onde Arequi reinava de modo independente; após assaltar Salerno, o duque ofereceu a tua vassalagem. Não obstante, no momento em que morreu, em 792, Benevento, voltou a proclamar a tua independência sob a égide de teu filho, Grimoaldo III.

  1. Vinte e quatro Adolfo Ruiz Cortines
  2. Centro Carter (afiliado)
  3. 81 Devolução de saudações
  4. a Sua autonomia é provisória, durante o tempo que a investigação do caso continua em curso
  5. vinte e oito Colonização viking na América.
  6. José Luis Aguirre Larrauri
  7. O tempo que resta. Comentário à Carta aos Romanos, Madrid: Trotta, 2000. [ Links ]

Embora os exércitos de Carlos e seus filhos lhe atacaram repetidamente, ao não voltar o monarca franco ao Mezzogiorno, esses territórios não seriam nunca submetidos. “Pepino”, ao ser nomeado rei da Itália; e o mais jovem, Luis, foi nomeado rei da Aquitânia.

Carlos mandou que os dois se criaran no discernimento dos costumes de seus reinos, ao mesmo tempo em que lhes daria a seus regentes certo controle sobre o assunto esses territórios. Não obstante, apesar de os dois adolescentes tivessem a esperança de herdar o reino qualquer dia, o poder esteve a toda a hora nas mãos de teu pai.

Além do mais, não tolerou insubordinação alguma divisão de seus filhos: em 792 baniu Pepino, o Corcunda em razão de uma revolta pela qual era membro. Ao atingir a maioridade, os filhos do monarca combateram em seu nome no decorrer do decorrer de vários conflitos. Para Carlos, que lhe preocupavam essencialmente os bretões, com os quais compartilhava divisa e aqueles que se rebelaram contra ele em no mínimo duas ocasiões (mesmo se eles foram com facilidade dominados), e bem como lutou intensamente contra os saxões.

Em 805-806 se inscreveu no Böhmerwald, a moderna Boêmia, a fim de fazer frente aos eslavos que habitavam esses territórios, os modernos checos. Após uma rápida campanha, lhes assegurou, até o ponto de forçá-los a render-lhe homenagem. Após isso os francos devastaram o Vale do rio Elba e impõem tributo na área. Pepino enfrentou os ávaros, como este os beneventani e os eslavos do norte. Quando finalmente surgiu um conflito com o Império bizantino, em conseqüência de sua coroação imperial e da rebelião de Veneza, a organização política interna era imbatível. Luis se posicionou à frente da Marca Hispânica e, no mínimo numa ocasião, dirigiu-se ao sul da Itália, a final de encarar o duque de Benevento.

Em 778, dirigiu o exército do Reino de um a outro lado dos Pirineus Ocidentais, no tempo em que que os austrasios, lombardos e burgúndios cruzavam os Pirenéus Orientais. Os exércitos se reuniram em são paulo e receberam a homenagem de Sulayman al-Arabí e Kasmin ibn Yusuf, os governantes estrangeiros. Contudo, são paulo não caiu com a rapidez com que Carlos magno pensava; mesmo se encontrou ante a briga mais complicado do que afrontar em toda a sua carreira e, temendo uma derrota, decidiu tirar-se e regressar pra residência. A conquista da Itália, fez com que Carlos entrasse em contato com os sarracenos que, pela época, controlavam o Mediterrâneo e trabalhavam arduamente em teu filho Pepino.

Contudo, a briga contra os muçulmanos continuou sem cortar em intensidade durante toda a segunda metade do reinado de Carlos magno. Em 797 Barcelona, a principal cidade da localidade, caiu pros francos no momento em que Zeid, teu governador, se rebelou contra Córdoba e, depois de fracassar, entregou a Carlos magno. Apesar de as autoridades omíadas conseguiram reconquistá-la em 799, Luis marchou ao lado de todo o teu exército, atravessou os Pirenéus e cercou a cidade por 2 anos, passando ali o inverno de 800 e 801, até sua rendição.

Os francos continuaram brigando contra o emir: em 809 ocuparam Tarragona e, em 811, Tortosa. Carlos magno esteve envolvido em competições constantes no decorrer de teu reino, muitas vezes, a cabeça de seus esquadrões de elite ou scara e com sua lendária espada, Joyeuse, de mão em mão.