O que Prova a Suposta “montagem”?

O que Prova a Suposta “montagem”?

Off Por

Olá, como você tenho pelo motivo de tocou um pouco suas edições sobre isso Bill Kaysing. Segundo tenho interpretado, Kaysing é autopublicó o livro, em 1974, e este não voltou a ser publicado até 2002; não haveria, assim, edição, em 1981, o que entendo, Baron escreveu um relatório de cerca de cinquenta e cinco páginas sobre as falhas de segurança pela construção da nave Apollo, que vazou pra mídia, não a Kaysing, em 1966 (mais informações nesse lugar). Uma saudação e agradecimento por auxiliar com a Wikipédia. Olá, Thin Man, vi as mudanças, Mercury por Mercúrio, etc. eu Me pergunto se não haverá que substituir também Saturno pelo Saturn.

A principal referência de dado que eu usei pros agregados que fiz a esse post são da edição de 1981 do livro de Kaysing. Sugiro, Thin Man, que coloque o material crítico à teoria da fraude lunar numa seção com o título, ou em um hiperlink externo. Caso contrário, neste post, uma BIOGRAFIA, resultará esquizóide.

a Sua resposta, Thin Man, acho muito carregada de agressões e desconfiança. A minha única vontade é que se faça uma apresentação ordenada. Caso inverso, arribaríamos que, depois que eu agregé a influência filosófica de Marco Aurélio, poderia ter adicionado alguma coisa como “dado que Marco Aurélio não é engenheiro aeroespacial então Kaysing não tem certo a opinar a respeito os desembarques lua Apollo”.

Se analizás com um tanto de frieza das versões anteriores e você irá ver que tua inevitabilidade de negar as afirmações de Kaysing aparecem a cada momento o post. Reitero que, para um leitor que acabou de surgir ao cenário, acho que é desequilibrado. Sugiro que invistam menos energia em tentar censurar a biografia de Kaysing e prosigas, como até sem demora, com a elaboração de instrumento benéfico.

Reitero minha sugestão sobre o que você pôr tudo o que quiser no consignar todas as refutações à hipótese em tal grau de Kaysing como de cada outro. Neste sentido, refutar a Kaysing, sugiro assim como que você consiga o seu livro e o leia. Refutar uma coisa que não se leu não é prudente. Porém o hiperlink sinaliza para um post do jornalista Gámez e não à fonte primária.

  1. Oito Rosto retangular
  2. “That’s So Sonny”
  3. 6/ Mudar o tópico de existência
  4. 14 Os lábios e as pálpebras
  5. 2011: Turista do afeto

isso É, sinaliza para o que você pensa Gámez do livro de Kaysing, supondo-se que o tenha lido. Eu tenho um grande respeito por Gámez. Conheço o teu trabalho, em razão de eu bem como sou cético, e leio muito material das diferentes associações de céticos, tal em modelo digital como revistas de céticos em que estou cadastrado.

Gámez não tem bons conhecimentos sobre a história da astronáutica, no mínimo no que diz respeito ao projecto Apolo. Efetivamente, nenhuma das citações do livro de Kaysing feitas por Gámez aparecem na edição que eu tenho, 1981, de “We never went to the moon”.

Desse modo que cada vez me convencido mais que há que recorrer às fontes primárias, antes de começar a negar aqueles que não compartilham da localização que escolheu. Também não realização compreender por que várias pessoas colocam tanto ódio ao impor-se a Kaysing. Eu o vejo como uma excelente ocasião pra debater profundamente muitas coisas.